22 de julho de 2016

baleia

Sou o ar e a vertigem imóvel
de ser.
Flutuo na imensidão que me contém
e sou contida
Dentro levo galáxias e tudo o que existe.
Sou. Apenas sou.

Sem comentários: